quarta-feira, 29 de abril de 2009

A Arte de ser Feliz!




A arte de ser feliz!

Acorde todas as manhã com um sorriso.
Esta é mais uma oportunidade que você tem para ser feliz. Seja seu próprio motor de ignição.
O dia de hoje jamais voltará.
Não o desperdice,
pois você nasceu para ser feliz!
Enumere as boas coisas que você tem na vida.
Ao tomar consciência do seu valor, você será capaz de ir em frente com muita força,
coragem e confiança!
Trace objetivos para cada dia.
Você conquistará seu arco-íris,
um dia de cada vez.
Seja paciente.
Não se queixe do seu trabalho, do tédio, da rotina, pois é o seu trabalho que o mantém alerta, em constante desenvolvimento pessoal e
profissional, além disso o ajuda a manter a dignidade.
Acredite, seu valor está em você mesmo.
Não se deixe vencer,
não seja igual,
seja diferente.
Se nos deixarmos vencer,
não haverá surpresas, nem alegrias ...
Conscientize - se que a verdadeira felicidade está dentro de você.
A felicidade não é ter ou alcançar, mas sim dar. Estenda sua mão.
Compartilhe. Sorria. Abrace.
A felicidade é um perfume que você não pode passar nos outros sem que o cheiro fique um pouco em suas mãos.
O importante de você ter uma atitude positiva diante da vida, ter o desejo de mostrar o que tem de melhor, é que isso produz maravilhosos efeitos colaterais. Não só cria um espaço feliz para o que estão ao seu redor, como também encoraja outras pessoas a serem mais positivas.

O tempo para ser feliz é agora.
O lugar para ser feliz é aqui!

terça-feira, 28 de abril de 2009

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Hoje é segunda-feira, dia de rever os amigos e de recarregar as energias!!!

Dicas...

Bateu a cabeça. O que fazer?

É muito comum que as crianças, principalmente as menores, caiam e batam com a cabeça. Elas ficam aos prantos e nós ficamos desesperadas! O que fazer nessa hora?

Fazer uma compressa gelada no local por 15 ~ 20 minutos e repetir o procedimento após 20 minutos, é o indicado nesses casos. O gelo é anestésico e causa vasoconstrição, fazendo com que o edema (inchaço) seja menor e também o aspecto arrocheado. Não há necessidade de aplicar qualquer tipo de gel. Existem pomadas indicadas para hematomas, mas consulte o pediatra e verifique as indicações de uso.

Alguns cuidados são interessantes para minimizar os acidentes:
  1. Retire tapetes e objetos pontiagudos (mesas, cadeiras) do local onde a criança está brincando, utilize equipamentos que melhorem a segurança do ambiente;
  2. Evite o uso daqueles "andadores", as quedas são muito freqüentes;
  3. Quando estão aprendendo a andar, os calçados as vezes atrapalham mais do que ajudam, verifique se estão bem justos aos pés;
  4. Cuidado com o uso de meias e pantufas, certifique-se que possuem antiderrapante ou deixe seu filho descalço;
  5. Nos parquinhos certifique-se que o piso é adequado, seja de grama, areia ou emborrachado.

No caso de batidas na cabeça, mantenha a calma, por mais que a criança chore,
por mais grave que possa parecer!


Leve imediatamente ao Pronto Socorro quando, nas primeiras 24 horas:

  • Ocorrer desmaio,
  • vômito,
  • tontura,
  • desorientação,
  • dores de cabeça,
  • fala inarticulada,
  • dificuldade para andar.

Não force a criança a ficar acordada se estiver no horário de dormir, alguns
médicos recomendam acordá-la de hora em hora nas primeiras 4h, e verificar se
está respondendo bem ao ser estimulada.


Procure lembrar-se da maior quantidade de detalhes possíveis para ajudar no dignóstico médico:

  • como ocorreu o acidente;
  • quando;
  • qual a altura da queda;
  • em qual superfície ele bateu;
  • quais as alterações de comportamento;
  • aparecimento de inchaço em outras partes do corpo.

Fique sempre por perto, de olho nos pequenos, mas permita que eles explore todas as possibilidades de movimento, pois será muito importante para seu desenvolvimento motor. As quedas fazem parte desse processo e na maioria das vezes não oferecem risco. Na dúvida, consulte um médico.

Nossa galerinha na aula de Educação Física!









Berçario e Pré Maternal!





Esta é a nossa turma de Pré Maternal e Berçario,se divertindo no dia-a-dia.

domingo, 26 de abril de 2009

O assunto de hoje é sobre Educação!

Crescendo com o mundo imaginário dos livros

A leitura é o caminho mais importante para se chegar ao conhecimento. Portanto, a necessidade da familiarização das crianças com os livros desde o primeiro ano de vida é primordial.

Ninguém nasce um leitor, é preciso aprender a gostar da leitura, principalmente após a forte concorrência da nova geração, com outros atrativos como internet e videogame, que chamam a atenção da criançada.

O hábito de ler historinhas ajuda a colocar os filhos em contato com o mundo da leitura, aumentando seu vocabulário e seqüência de idéias. É preciso escolher uma obra que tenha linguagem adequada à sua faixa etária.

“É essencial que a criança cresça em um ambiente propício à leitura. De nada adiantará os esforços dos pais para que ela goste de livros se eles jamais lêem. Crianças que crescem ao lado de pais que lêem tendem a adquirir esse hábito de forma mais natural”, informa a pedagoga Patrícia Victo.

Nos primeiros meses, não tem sentido falar propriamente de literatura, entretanto, os bebês ficam fascinados com sons e movimentos que os adultos fazem diante dele. Canções e rimas em conjunto com gestos e palmas são o começo da comunicação.

Para esta idade, existem livros de tecido e plástico, com estímulos sonoros, onde a criança pode morder e explorar o livro até começar a passar as páginas.

Dos 8 meses aos 2 anos, os livros já devem conter imagens de objetos familiares e, mais tarde, relatos simples de fatos já vivenciados pela criança. O livro ainda é um brinquedo contendo estímulos táteis, visuais e auditivos, mas a criança começará a perceber que há relação entre a imagem do livro e a palavra do adulto que conta a história.

Segundo a pedagoga, a prática da leitura desperta o interesse e a atenção das crianças, desenvolvendo a imaginação, a criatividade, a expressão das idéias e o prazer pela leitura e escrita.

“Dos 3 aos 7 anos, o avanço na leitura é enorme, passando pelos livros de imagens até a interpretação dos primeiros textos escritos. A ilustração e a linguagem oral ainda são importantes para a criança”, avaliou.

Numa primeira fase, os livros de narração sem texto, somente com ilustrações são os adequados. Depois dos 4 anos, a criança já tem habilidades para entender uma história, sabe contá-la nas seqüências dos fatos narrados e começa a gostar da fantasia. Aqui, os contos de fada com textos escritos são os mais apropriados.

Começa realmente o contato com a linguagem escrita, assim os pequenos aprendem que as palavras escritas também são fontes de informação. A literatura infantil está relacionada com outros modos de expressão (o movimento, a imagem, a música) que formam a bagagem comunicativa da criança desde seus primeiros anos.

“É preciso estimular a leitura de maneira cuidadosa e sempre respeitar o gosto e as limitações da criança. Desta maneira, os pais ajudam a abrir as portas do mundo maravilhoso da leitura e tudo o que a criança tem de fazer é caminhar alegremente por ele!”, completa Patrícia Victo.

Bruno Thadeu

Boa Semana!

sexta-feira, 24 de abril de 2009


Alguns momentos de nossa Galerinha!

A turminha do Pré maternal na pracinha!
A turminha da professora Leticia so curtindo a pracinha!!!!
O Maternal na pracinha juntamente com a professora Kelly!


A turma do Maternal II brincando de Ovo podre no pátio!
Fazendo Capoeira com a professora Rafaela!
Hora do Conto em sala de aula com a professora Natalia!
Chegou a vez da Pré escola fazer capoeira,como se divertem e aprendem!
Na pracinha é so alegria!
Todos em sala de aula,fazendo um cartaz coletivo,sobre as profissões!
Aula de dança pela manha!
Espero que nossos pais gostem das fotos e deixem seu comentario,pois atraves do blog vocês iram acompanhar nossos alunos no dia-a-dia! Um grande abraço da Equipe de professoras e direção da Brincando e Aprendendo!

quinta-feira, 23 de abril de 2009

A Importância da Pré Escola.

Escola de Educação Infantil Brincando e Aprendendo

A nossa Escola oferece o Pré I crianças de (4 a 5 anos) onde preparamos nossos alunos para o Pré II crianças de (5 a 6 anos). Confira a seguir o quanto é importante este processo de aprendizagem para a criança ir preparada para o PRIMEIRO ANO do fundamental(6anos)

A importância da pré-escola/

Alfabetizar??

Alfabetização a princípio significa o domínio da leitura e da escrita, mas esse domínio é na verdade a conclusão de um longo processo. Para que uma criança seja alfabetizada, é preciso que ela passe antes por uma série de etapas em seu desenvolvimento, tornando-se então preparada para a aquisição da leitura e da escrita. Essas etapas compõem a chamada "fase pré-escolar" ou "período preparatório". O processo de alfabetização é bastante complexo para a criança, por isso a importância de se respeitar o período preparatório, que dará a criança o suporte necessário para que ela prossiga sem apresentar grandes problemas. Uma criança sem o preparo necessário pode apresentar durante a alfabetização, dificuldades relacionadas à coordenação motora fina e à orientação espacial, não sabendo, por exemplo, segurar o lápis com firmeza, unir as letras enquanto escreve, ou como posicionar a escrita no papel. Pode ainda ter problemas para identificar os fonemas e associá-los aos grafemas. Também é possível encontrar crianças que só sabem copiar textos, e durante um ditado, não conseguem escrever.

Podemos falar também sobre as dificuldades de interpretação de texto, de compreensão, de raciocínio lógico e ainda nas dificuldades emocionais. Complexos de inferioridade, insegurança, medo de situações novas, medo de ser repreendido, medo de errar, de não corresponder às expectativas dos pais, apatia, indiferença ou indisciplina e revolta, problemas de socialização, baixa auto-estima, e outros. O período propício para a alfabetização é entre os 6 ou 7 anos. Segundo Freud, é a chamada "fase latente", quando a criança já não tem mais interesses relacionados à descoberta do próprio corpo e do sexo oposto, bem como suas relações, e pode ter toda a sua atenção voltada para a aprendizagem por que esses interesses só voltam a se manifestar na puberdade. O processo de alfabetização pode chegar à 2 anos dependendo da maturidade, do preparo, do ritmo da criança e do quanto foi estimulada. Este é o período adequado para que a criança tenha completo domínio da leitura e da escrita, havendo a necessidade daí por diante do aperfeiçoamento da ortografia, da gramática e a estimulação constante da compreensão, interpretação e produção de textos.

Aqui na Escola Brincando e Aprendendo respeitamos e trabalhamos com muita seriedade a fase do período preparatório, levamos em consideração que para ser alfabetizado, uma criança precisa antes de tudo ter uma auto-estima elevada, precisa estar bem emocionalmente, ter segurança e autoconfiança, para poder enfrentar as dificuldades que o processo de alfabetização irão lhe impor. Além disso, a criança precisa apresentar características de socialização. Seja qual for o seu temperamento, ela deve saber se portar em grupo, respeitar as pessoas, saber quais são seus limites, ter disciplina, estabelecer boa comunicação, ir aos poucos adquirindo independência e responsabilidade, saber ganhar e saber perder, ter boas maneiras, etc. Depois disso, a criança deve apresentar um bom desenvolvimento motor e dominância lateral definida. Isso significa que ela deve brincar muito, exercitar-se através de jogos e brincadeiras que estimulem as percepções sensoriais (gustativa, olfativa, visual, tátil e auditiva).

Deve dominar seus movimentos corporais com habilidade e segurança, deve conhecer seu corpo, seus limites, ter postura, equilíbrio, reflexos e raciocínio lógicos bem desenvolvidos. Por isso a importância das brincadeiras em sala e de rua, jogar bola, andar de bicicleta. Rolar, brincar com areia, correr, pular, etc. Isso é o que chamamos de coordenação motora global. O próximo passo é o desenvolvimento da coordenação motora fina. A criança se desenvolve nesse sentido quando desenha ou pinta com todos os tipos de lápis, pincéis, quando usa tesouras ou quando pinta com os próprios dedos. Quando rasga, amassa ou pica papéis, quando brinca com jogos de encaixar e montar, enfim, são atividades que se limitam mais ao uso das mãos, associadas ao raciocínio, à percepção sensorial e à concentração. Também são pré-requisitos importantes o desenvolvimento da capacidade de concentração, o desenvolvimento da memória e do raciocínio lógico e abstrato. Estes podem ser aprimorados com brinquedos e programas educativos, músicas, histórias, filmes infantis, livros, conversas informais, e tantos outros recursos. Toda e qualquer atividade estimula o cérebro, e quanto mais estimulado, melhor é o desempenho da criança em todo o processo de aprendizagem. Além de tudo isso a criança precisa sem dúvida apresentar bom desenvolvimento físico e boa saúde.

Muitas pré-escolas se preocupam somente com a alfabetização da criança, mas é muito importante que a pré-escola se preocupe primeiramente com o desenvolvimento do período preparatório, com a estimulação de todos os pré-requisitos que já descrevemos. A escola não deve pular as etapas do desenvolvimento, isso é extremamente prejudicial e trará conseqüências futuras para a criança, nas áreas pedagógica, emocional ou social. Para ser alfabetizada, uma criança precisa estar madura em todos os sentidos, pois o processo de alfabetização apresenta novas etapas, e a criança deve estar preparada para vencê-las. É importante ressaltar que pré-escola não é um “depósito de crianças”, onde as crianças ficam para que os pais possam trabalhar. A pré-escola tem um papel importantíssimo no preparo da criança para a alfabetização e deve cumprir este papel com competência. É o início da formação da criança, é onde ela vai ter o primeiro contato com o processo de aprendizagem, que será a base para todos os anos de escola que ela terá no futuro. Esse contato deverá ser agradável e prazeroso, para que não gere traumas futuros. Por isso nossa Equipe é Feliz em oferecer estas turminhas em nossa Escola, POIS AQUI É UM LUGAR ONDE SE APRENDE BRINCANDO.

Fonte:Guia do bebe.

quarta-feira, 22 de abril de 2009

Descobrimento do Brasil

DESCOBRIMENTO DO BRASIL

História do Brasil Colônia, a história do descobrimento do Brasil, os primeiros contatos
entre portugueses e índios, o escambo, a exploração do pau-brasil

descobrimento do brasil
Primeiros contatos entre portugueses e índios

Em 22 de abril de 1500 chegava ao Brasil 13 caravelas portuguesas lideradas

por Pedro Álvares Cabral. A primeira vista, eles acreditavam tratar-se de um

grande monte, e chamaram-no de Monte Pascoal. No dia 26 de abril, foi

celebrada a primeira missa no Brasil.


Após deixarem o local em direção à Índia, Cabral, na incerteza se a terra

descoberta tratava-se de um continente ou de uma grande ilha, alterou o

nome para Ilha de Vera Cruz. Após exploração realizada por outras

expedições portuguesas, foi descoberto tratar-se realmente de um

continente, e novamente o nome foi alterado. A nova terra passou a ser

chamada de Terra de Santa Cruz. Somente depois da descoberta do

pau-brasil, ocorrida no ano de 1511, nosso país passou a ser chamado pelo

nome que conhecemos hoje: Brasil.


A descoberta do Brasil ocorreu no período das grandes navegações, quando

Portugal e Espanha exploravam o oceano em busca de novas terras. Poucos

anos antes da descoberta do Brasil, em 1492, Cristóvão Colombo, navegando

pela Espanha, chegou a América, fato que ampliou as expectativas dos

exploradores. Diante do fato de ambos terem as mesmas ambições e com

objetivo de evitar guerras pela posse das terras, Portugal e Espanha

assinaram o Tratado de Tordesilhas, em 1494. De acordo com este acordo,

Portugal ficou com as terras recém descobertas que estavam a leste da linha

imaginária ( 200 milhas a oeste das ilhas de Cabo Verde), enquanto a

Espanha ficou com as terras a oeste desta linha.

Mesmo com a descoberta das terras brasileiras, Portugal continuava

empenhado no comércio com as Índias, pois as especiarias que os

portugueses encontravam lá eram de grande valia para sua comercialização

na Europa. As especiarias comercializadas eram: cravo, pimenta, canela, noz

moscada, gengibre, porcelanas orientais, seda, etc. Enquanto realizava este

lucrativo comércio, Portugal realizava no Brasil o extrativismo do

pau-brasil, explorando da Mata Atlântica toneladas da valiosa madeira, cuja

tinta vermelha era comercializada na Europa. Neste caso foi utilizado o

escambo, ou seja, os indígenas recebiam dos portugueses algumas bugigangas

(apitos, espelhos e chocalhos) e davam em troca o trabalho no corte e

carregamento das toras de madeira até as caravelas.

Foi somente a partir de 1530, com a expedição organizada por Martin Afonso de Souza, que a

coroa portuguesa começou a interessar-se pela colonização da nova terra. Isso ocorreu, pois

havia um grande receio dos portugueses em perderem as novas terras para invasores que

haviam ficado de fora do tratado de Tordesilhas, como, por exemplo, franceses, holandeses e

ingleses. Navegadores e piratas destes povos, estavam praticando a retirada ilegal de madeira

de nossas matas. A colonização seria uma das formas de ocupar e proteger o território. Para

tanto, os portugueses começaram a fazer experiências com o plantio da cana-de-açúcar, visando

um promissor comércio desta mercadoria na Europa.